lorem ipsum sit dolor ans a quest for design lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. in nisl enim, placerat et ultrices id, egestas a auge. donec iaculis iaculis aliqam. donec bibendum rhoncus.

 

A Artista

— Mary Carmen Matias

Meu pensamento

A complexidade do ser humano e suas manifestações sempre me intrigaram e fizeram parte de minha vida. A reflexão sobre as interações, comportamentos e sentimentos marcaram a minha forma de ser e de agir.

Na arte encontrei, pela escultura e pintura, uma forma de expressar os meus sentimentos, valores e observações. Em meu trabalho busco analisar alguns temas humanistas que nos cercam, como a liberdade, a família e os relacionamentos.

Como forma de expressão, procuro superar o desafio entre a dureza e a rigidez dos materiais, e meu desejo de transmitir sensibilidade e leveza.

Na minha escultura ou pintura, o desafio é sempre o mesmo: levar calor à frieza do material, ocupando o espaço com formas que traduzam sentimento e poesia.

Exposições

32º Salão de Artes da ACSP Pinheiros
Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. (Medalha de Prata)

XXXII Mostra de Arte da Granja Viana
Centro Brasileiro Britânico.

São Paulo em Cores
Casa de Portugal.

Símiles
Instituto Cervantes.

XXXI Mostra de Arte da Granja Viana
Centro Brasileiro Britânico.

11ª Grande Exposição de Arte Bunkyo
Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa.

Contrastes
Esporte Clube Pinheiros

Modulações
Espaço de Exposições do SESI-SP

Expansão do Espaço
Taubaté Shopping

29º Salão de artes da ACSP Pinheiros
Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. (Medalha de Bronze)

XXXIV Salão de Artes Plásticas de Rio Claro.

9ª Grande Exposição de Arte Bunkyo
Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa.

XXIX Mostra de Arte da Granja Viana
Centro Brasileiro Britânico.

XXXIII Salão de Artes Plásticas de Rio Claro.

O Plural na Arte
Espacio Uruguay do Banco de la República Oriental del UruguaY.

3º Salão de Outono da América Latina
Memorial da América Latina (Galeria Marta Traba).

No Vermelho
Shopping Taubaté.

Infinito – A Dança das Formas
Espaço Cultural Shopping Taubaté

XVIII Mostra de Arte da Granja Viana
Centro Brasileiro Britânico.

No Vermelho
Espaço Cultural Taboão.

No Vermelho
Espaço Cultural Continental.

7ª Grande Exposição de Arte Bunkyo 2013
Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa

XXVII Mostra de Arte da Granja Viana
Centro Brasileiro Britânico.

Casa Cor
Jockey Club de São Paulo.

Exposição Gerações
Mary Carmen Matias e Margarita Farré – Polo Cultural Boulevard das Artes – Espaço Cultural Tatuapé.

25º Salão de Artes de Pinheiros
Conjunto Nacional.

XXVI Mostra de Arte da Granja Viana
Centro Brasileiro Britânico.

Casa Cor
Jockey Club de São Paulo.

Perfil
Clube Atletico Paulistano

24º Salão de Artes da ACSP Pinheiros
Centro Cultural Rebouças. (Medalha de Prata)

XXV Mostra de Arte da Granja Viana
Centro Brasileiro Britânico.

PANORAMA INICIAL
Projeto Art+ – Espaço Cultural Condomínio Planalto.

Memorial da América Latina
“Mão da América – Homenagem a Oscar Niemeyer”.

Poética dos volumes
Espaço Cultural Citi

Projeto Art+
“44 artistas convidados”

“Manifestações V Hibridismo”
MuBE – Museu Brasileiro de Escultura.

Exposição Morcegos
ABAPC – Prédio Histórico dos Correios

23º Salão de Artes da ACSP Pinheiros
Centro Cultural Rebouças. (Menção Honrosa)

Exposição Planeta bola
ABAPC – Prédio Histórico dos Correios

Exposição Coletiva de Artes
Academia Brasileira de Arte, Cultura e História

Galeria Spazio Surreale
Comemoração aos 22 anos da Galeria

Exposição “Ritmos y Colores del Brasil”
Centro Cultural em Madrid/Espanha.

Exposição Coletiva de Artes “Libertação dos escravos”
Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (Medalha de ouro)

XXIV Mostra de Arte da Granja Viana
Centro Brasileiro Britânico. (Terceiro Lugar)

Galeria Spazio Surreale
com o Grupo de Escultores do MuBE – GEM.

Reflexões
Sala de Artes Plásticas – Club Athletico Paulistano

MuBE
Museu Brasileiro de Escultura

22º Salão de Artes da ACSP Pinheiros

“Da Pré-História ao Pré-Sal”
Galeria Mali Villas-Bôas

V Salão das Águas
Centro Cultural da Marinha (Medalha de Bronze)

Salão de Inverno
Galeria Mali Villas-Bôas (Revelação na escultura Contemporânea)

“Recortes visuais e quatro artistas”
Galeria Mali Villas-Bôas

MuBE
Museu Brasileiro de Escultura

Universidade Mackenzie
em exposição orientada por Caciporé Torres.

Momentos

Sucata e bronze, o domínio da forma
  • Com sólida formação nas áreas de Sociologia e História onde estudou em profundidade as civilizações e suas manifestações artísticas, Mary Carmen dá seus primeiros passos na arte, e transforma seu conhecimento teórico e conceitual em manifestação cultural.
  • No curso de escultura no Mackenzie, Mary Carmen conhece o escultor Caciporé Torres, com quem aprende as primeiras técnicas de escultura e o uso das ferramentas e da solda. Neste momento, com incentivo de seu primeiro mestre, assume a escultura como uma forma de expressão de seus valores.
  • Como resultado dos estudos, participa de sua primeira exposição no Mackenzie.
  • Em seguida, Mary Carmen aprofunda seus estudos na escultura com Angela Bassan (MUBE). Neste momento há uma forte identificação com a modelagem em argila e a artista dá início ao trabalho com a fundição em bronze.
  • Ao mesmo tempo passa a trabalhar no Atelier da FAAP, sob orientação de Nicolas Vlavianos. Desenvolve seu estilo e linguagem e passa a expor suas obras em coletivas.
  • Em seus primeiros trabalhos, sua trajetória na sociologia e história se exterioriza com a criação de obras que evocam guerreiros e heróis. Ao mesmo tempo o lado humanista se manifesta em várias obras. A valorização da família e da maternidade são temas muito presentes na artista, e tornam-se importante caminho explorado em sua trajetória.
  • Mary Carmen recebe o forte incentivo de Vlavianos e a valiosa orientação e parceria de Jacob Klintowitz que avalia seu trabalho e é seu primeiro curador.
  • Nesta fase a artista realiza a primeira exposição individual “Reflexões” no Club Athletico Paulistano.
Transformando a dureza do metal em leveza e poesia
  • Marcando o desenvolvimento de sua carreira e traduzindo sua permanente inquietação, de forma arrojada começa a explorar novos materiais, como o aço e o alumínio. Este movimento e estilo pessoal confirmam a consistência e qualidade de seu trabalho, com a abertura da exposição individual “A Poética dos Volumes” no Espaço Cultural Citibank, com curadoria de Jacob Klintowitz.
  • Na exposição “Poética dos Volumes”, Jacob Klintowitz dá especial atenção à obra “Arvore da Vida ao descrevê-la como “...uma escultura que busca o fundamental, o ancestral, e que se conecta à mais elevada tradição de civilizações passadas, e de outros períodos históricos da nossa própria civilização. […] o material é tecnológico, a composição é tradicional, a estrutura da peça é por agregação, o assunto é mais que milenar, é perene, e o entendimento da artista fundamenta-se no simbólico. Atual e antigo, contemporâneo e pré-histórico, mapa do mundo no homem”.
  • Os trabalhos apresentados nessa exposição propiciam grande visibilidade ao trabalho da artista.
  • Novos temas passam a aparecer em sua obra. As fitas e linhas, como representação da liberdade e da flexibilidade do ser humano. O lado humanista aparece com os encontros e desencontros ocupando espaço.
  • Inicia exitosa parceria com Denise Mattar e desenvolve estudos para provocativas instalações.
  • O reconhecimento da carreira como escultora se consolida com o convite para inaugurar o Espaço de Exposições SESI-SP no novo Centro Cultural Fiesp, onde acontece a exposição individual “Modulações”, com curadoria de Denise Mattar.
  • Em “Modulações” a artista mostra o entrelaçamento das relações humanas com sua série de linhas e fitas. Esta exposição, com forte abordagem educativa e cultural, constituiu grande sucesso de publico e vasta cobertura de mídia.
O mármore e a harmonia de materiais
  • O domínio do metal é desafiado pela agregação e uso integrado do mármore: O encontro e diálogo entre o frio metal e a nobreza do duro mármore, oferecem um instigante e comovente resultado.
  • Neste momento, Mary Carmen mostra ao público em “Símiles”, nova exposição individual com curadoria de Denise Mattar, realizada no Instituto Cervantes em São Paulo, o resultado de seu novo estudo.
  • Segundo palavras da curadora “..em algumas obras o aço brota do mármore, como se dele tivesse nascido, lançando-se no ar com a poesia luminosa da linhas, em outras, as formas se contrapõe, duplicadas, encarando-se, comparando sua similaridade na diferença, mas há ainda outras, nas quais os materiais se abraçam e se enroscam como amantes; com força e densidade”.
  • Em "Símiles", a artista reencontra suas raízes espanholas ao realizar sua exposição no Instituto Cervantes.
A pintura e uma nova expressão
  • Na busca por novas formas de expressão, em paralelo com o consistente trabalho como escultora, Mary Carmen encontra a pintura. Passa por um período inicial de aprendizado de técnicas e primeiras expressões.
  • Em seu trabalho como pintora, encontra como mestre e orientador o pintor Paulo Pasta, que analisa e valida seu trabalho.
  • Ao seguir sua característica de não abandonar o metal, a artista realiza o encontro entre escultura e pintura. Passa a criar pinturas em alumínio onde, com pinceladas fortes, marca seu estilo pessoal como escultora e agora também pintora, com originalidade ao fazer a junção entre essas duas formas de expressão.
  • Os resultados deste novo período, são apresentados ao público com uma pequena amostra destes trabalhos na Exposição “Símiles” e apresentação de quadros no Instituto Tomie Ohtake, refletindo trabalhos orientados por Deborah Paiva e os incentivados por Paulo Pasta.

@marycarmenescultora no instagram

This error message is only visible to WordPress admins

Error: The account for marycarmenescultora needs to be reconnected.
Due to recent Instagram platform changes this Instagram account needs to be reconnected in order to continue updating. Reconnect on plugin Settings page