Modulações

Período: 19 de fevereiro a 26 de março de 2017

Abertura: 2 de fevereiro

Local: Espaço de Exposições do SESI-SP. Avenida Paulista, 1313 – subsolo – Cerqueira César

A artista Mary Carmen Matias apresentou ao público entre fevereiro e março de 2017 a exposição Modulações, que teve o privilégio de inaugurar o Espaço de Exposições do SESI-SP no novo Centro Cultural FIESP na Avenida Paulista.

Com curadoria de Denise Mattar, a mostra reuniu 27 esculturas inéditas, produzidas em aço e alumínio, em que o desejo da artista era distanciar a matéria de sua natureza sólida, o que a levou a intervir e produzir a partir do frio metal uma mensagem de leveza, envolvimento e harmonia, transformando-o em pura poesia. O resultado vem ao vislumbrar o efeito, do pensamento à linha, da linha ao volume e finalmente do volume ao espaço ocupado. São formas curvas que se entrelaçam e abraçam, com movimentos que libertam e avançam até o infinito. Mary Carmen pontua: “Esse é o meu objetivo e minha forma de expressão.”

Segundo a curadora Denise Mattar, responsável pela exposição, “A escultura em metal é um segmento da arte que exige, mais do que outros, um profundo domínio de fatores criativos e construtivos. Volume, espaço, proporção, luz e gravidade precisam ser equilibrados na concepção da obra e na sua concretização. Dos esboços à dinâmica do gesto tudo se constrói em etapas, até chegar a um processo parcialmente industrial, que necessita um cuidadoso acompanhamento para que o resultado não traia a criação.”

Sobre o processo criativo da artista, Mattar ainda relembra: “Mary Carmen estuda possibilidades desenhando formas no papel, mas seu trabalho começa verdadeiramente com o gesto, com a manipulação de fios, para criar as maquetes que são a base de suas esculturas. E é desse gesto, desse diálogo das mãos com o material, que nascem suas formas. São torções, distensões e retesamentos cingindo o ar. São gestos quase sensuais, que apertam, enrolam, acariciam e enovelam a linha. Depois vem a escolha do elemento que irá corporificar esses movimentos: alumínio ou aço? tubos finos ou encorpados? fitas ou chapas? E cada escolha revela de forma diversa a plasticidade do espaço. Vem então a materialização: o embate, a dobradura, o corte, a fundição: o metal domado. E finalmente a escultura plena, com reflexos nas curvas, brilho nas formas e a luz escorregando pelas linhas.”

Como resultado do seu resgate da arte da escultura de forma contemporânea e criativa, a exposição Modulações agradou o público e recebeu mais de 9.000 visitantes. Graças ao valioso aspecto educativo, ao exibir através de painéis e de um vídeo o processo produtivo das obras de arte, a mostra atraiu diversos públicos como escolas e instituições sociais, que se encantaram com a possibilidade de conhecer os bastidores da criação de uma escultura.

A Exposição

Na Mídia